Filosofia Primeira - Tratado De Ucronia Pós-Metafísica (Fabián Ludueña Romandini. N-1 Edições) [SOC000000]

https://www.n-1edicoes.org/web/image/product.template/51716/image_1920?unique=72629be

R$ 46,80 46.800000000000004 BRL R$ 72,00

R$ 72,00

    Essa combinação não existe.


    “Os textos aqui publicados correspondem a um achado nas ruínas dos arredores da cidade de Hatteria, no cone sul do continente americano planeta-mão dos humanos, a Terra. Trata-se da cidade que, mais de dois milênios atrás, levava o nome de Buenos Aires. Sabe-se que uma vez aniquilada durante os sangrentos episódios da Sexta Guerra Mundial Póstuma, assentaram-se em seus subúrbios populações nômades que, desde tempos de datação incerta, já vinham recolhendo uma série de textos da obscura Heresia da Disjunção que, naquela época, dera mostras de suas primeiras tentativas. (…) “ - Fabián Ludueña Romandini Da aurora do Homo ao seu crepúsculo no presente e olhando para o futuro distante, a História Universal sempre foi e continuará sendo marcada pelos assaltos dos Titãs ao mundo. Em nosso tempo, no entanto, ocorreu um duelo decisivo que entronizou a visão de mundo dos póstumos à beira da Nova Ordem Mundial. Assim, neste volume do políptico de A comunidade dos espectros, é abordado o núcleo sobre o qual gravita a primeira filosofia e, portanto, a aposta mais decisiva de todo o projeto: os fundamentos da Disjuntologia segundo uma nova filosofia, a "teoria de fractos", de onde se avançam aqui os postulados mais destacados de sua concepção da pós-metafísica do Ser. Ao longo do caminho, será necessário estabelecer o que significa o esgotamento definitivo da noção de vida vivível que até agora significa que encontramos e até que ponto conceitos como maneirismo, in-harmonia mundi, psique ou erotologia podem abrir caminhos inexplorados face à mutação epocal em curso. O volume reúne, liminarmente, literatura com filosofia. Não é um amálgama e, muito menos, uma forma de interdisciplinaridade. Pelo contrário, é a resposta a um diagnóstico sobre o tempo presente onde a Carta já não se inscreve nos corpos com a consistência do discurso do saber apofântico e são necessários novos instrumentos para a sobrevivência do pensamento. Portanto, a pós-metafísica deve ser investigada à luz de uma proto-história detalhada da Grande Pandemia que selou o destino do orbe terrestre.