Offer Ends In !!

O Ateneu (Raul Pompeia; Caio Gagliardi; Ieda Lebensztayn. Editora Hedra) [FIC004000]

R$ 89,10 89.10000000000001 BRL R$ 99,00

R$ 99,00

Opção não disponível


    Aguarde enquanto calculamos o preço...

    adicionar 

    This combination does not exist.


    "O ateneu" foi publicado em capítulos, no jornal carioca A gazeta de notícias, entre 8 de abril e 18 de maio de 1888, e, devido ao reconhecimento imediato, foi editado em livro no mesmo ano. Escrito em apenas três meses, é considerado o maior romance brasileiro do século XIX depois dos romances realistas de Machado de Assis. Seu enredo consiste na recordação do período de dois anos em que o narrador, Sérgio, passa num tradicional colégio interno do Rio de Janeiro. O ingresso no Ateneu marca as descobertas amargas que acompanharão o narrador daí em diante, os sentimentos de desilusão, opressão e desconfiança, componentes da profunda solidão humana. Seu sentido é o de um ritual de passagem, em que o convívio com os colegas, os professores e o diretor definem a afirmação moral, sexual e intelectual de um menino de 11 anos. Difíceis de definir, o estilo e o significado do romance geraram uma das mais profícuas polêmicas da história da nossa literatura, aqui apresentada e antologizada cronologicamente no final do volume.

    • ISBN : 9788577156382
    • Formato 133.0 x 210.0
    • Peso 0.76
    • Páginas 362
    • Disponível em 2020-08-28
    • Book status Available

    Raul Pompeia

    Raul d’Ávila Pompeia foi polemista radical, abolicionista e republicano. E um dos maiores escritores brasileiros do século XIX — e também um dos mais singulares. Formou-se em direito em Recife, depois de ter se transferido do Largo São Francisco, cujo corpo docente era basicamente composto por escravocratas e monarquistas ultramontanos. Além de "O Ateneu", sua obra maior, legou-nos os romances "Uma tragédia no Amazonas" (1880), "As joias da coroa" (1882), os contos "Microscópicos" (1881), os poemas em prosa "Canções sem metro" (1900), as páginas de crônicas e reflexões recolhidas em "Alma morta" (1888) e "Prosas esparsas de Raul Pompeia" (1920-21). Além de ativista político, romancista e cronista, foi professor da Escola Nacional de Belas-Artes, diretor da Biblioteca Nacional, desenhista e pintor. Os desenhos deste volume são de autoria do próprio autor. Raul Pompeia suicidou-se no Rio de Janeiro, no quarto de sua casa, na noite de natal de 1895.


    Brand Editora Hedra
    Category #Metabiblioteca
    Weight 0.76 kg
    Type Storable Product