QUANDO O SOL AQUI NAO MAIS BRILHAR:
A FALÊNCIA DA NEGRITUDE

Castiel Vitorino Brasileiro



Título Quando o sol aqui não mais brilhar: a falência da negritude

Autora Castiel Vitorino Brasileiro

Projeto Gráfico Luan Freitas

Ilustração capa Waldomiro Mugrelise

Ano 2022 | 1ª edição
Nº de páginas 112p
Dimensões 23 cm x 13 cm

ISBN 978-65-86941-90-6

 

 

Sobre o livro


 

Este livro trata-se de um estudo crítico acerca da dinâmica colonial vigente no Brasil, que especialmente subsidiado pela obra de Neusa Santos Souza, tem cido comumente chamado de Tornar-Negro. Portanto, a discussão apresenta a negritude num outro contexto histórico identitário,  demonstrando os limites de suas políticas de orgulho racial. Uma vez que circunscreve-se na ressignificação de mitologias modernas, ao invez de ultrapassar tais prerrogativas coloniais, a negritude acaba naturalizando a categoria negro como unico principio a ser alimentado e defendido. Neste contexto, pergunta-se:  Porque ainda nos chamamos de commodity escravocrata/negros?. A crítica caminha para uma sensibilização cognitiva, a fim dar continuidade a buscas por outras palavras/fundamentos/referenciais vitais que não esses oferecidos pela ontologia do Ser Moderno.




Autora

Castiel Vitorino Brasileiro (1996) escritora, psicóloga e mestra em Psicologia Clínica PUC-SP. É artista visual com circulação internacional e vencedora de importantes prêmios de Arte no Brasil. Desenvolve seu trabalho em múltiplas linguagens, tendo a fotografia, pintura, instalação e performance como principais suportes. A partir do encruzilhamento que faz entre arte, clínica e os fundamentos de sua ontologia Bantu, Castiel desenvolve pesquisa sobre a racialização negra como um trauma do esquecimento e caracteriza a transmutação/transfiguração como uma experiência cotidiana e inevitável, apesar da nossa colonização em curso.