DES-HABITAT 

  Paulo Tavares

 



Título  Des-Habitat 

Autor  Paulo Tavares
Projeto gráfico Paulo Tavares

Ano  2020 | 1ª edição

Nº de páginas  97

Dimensões  33 x 23,5 cm 

ISBN 978-65-86941-39-5 

Preço de capa  70,00​​​​​​​



Neste ensaio visual Paulo Tavares intervém em Habitat, revista de artes e design editada pela arquiteta Lina Bo Bardi nos anos 1950.

Habitat propagava não apenas imagens de arte e arquitetura moderna, mas também imagens de artefatos indígenas. Desta forma, simultaneamente apresentava ao seu público o vocabulário do modernismo e formas nativas de expressão cultural, alinhando-se aos imaginários primitivistas das vanguardas.

Ressignificando imagens e imaginários dominantes, Des-Habitat nos carrega através uma narrativa visual sobre a colonialidade da arquitetura moderna e suas mídias, abrindo um horizonte para a potencial descolonização de seus legados.



 


Através de um minucioso trabalho de arquivo e design, Tavares investiga como a linguagem moderna da revista enquadrou tais objetos, imagens e imaginários. Tomando a forma de uma fac-símile, o livro-objeto mobiliza uma série estratégias visuais como colagens e re-apropriações – procedimentos centrais na estética construtivista modernista de Habitat – para interrogar o contexto a partir do qual essas imagens surgiram como significantes modernos em suas páginas. Isso envolve observar como políticas violentas de colonização de territórios indígenas levaram à circulação de seus artefatos e imagens para as elites culturais urbanas através de mídias como Habitat e exposições do MASP.  


Com ensaio e design de Paulo Tavares,

prefácio da artista e curadora Marion von Osten.




Sobre o autor


Paulo Tavares

Arquiteto, autor e curador. Seus projetos e textos foram publicados e exibidos em diferentes contextos, incluindo Zum, Arquine, Harvard Design Magazine, Bienal de São Paulo, Bienal de Design de Istanbul, e Trienal de Arquitetura de Oslo. Tavares é autor dos livros Forest Law (2014), Memória da Terra (2020) e Des-Habitat (2020), e foi co-curador da Bienal de Arquitetura de Chicago 2019.


Marion von Osten (1963–2020)

Curadora, pesquisadora e escritora.  Entre outros projetos, foi curadora das exposições bauhaus imaginista, Aesthetics of Decolonization and In the Desert of Modernity – Colonial Planning and After. Publicações incluem Transcultural Modernism (2013) e The Colonial Modern. Aesthetics of the Past. Rebellions for the Future (2010).